sábado, 4 de julho de 2015

Cineminha na aula: Vamos consolidar os conhecimentos!!!



 Logo após o trabalho com a história do leão http://numconstanteaprendizado.blogspot.com.br/2015/06/alunos-com-distorcao-serie-idade-e.html, começamos a falar sobre paisagem natural e modificada, sobre bairro e o que há nele.

 Dois textos deram início a esses assuntos: "O menino que aprendeu a ver" de Ruth Rocha e "Maluca é a rua" de Tatiana Belinky", ambos contidos no livro didático dos alunos. Utilizei um em cada semana e intercalei as atividades do livro com produções de texto, ortografia, o conteúdo sobre o bairro e outros, sempre buscando a relação com a realidade deles.

Aluno silábico-alfabético: " Morro do Peres, lá é muito legal, tem casa, tem mercado, tem pracinha e na pracinha tem brinquedo muito legal.

 No trabalho em grupo os alunos representaram alguns bairros da cidade:




Depois disso, a leitura da semana foi: 


Com esse livro, além de retomar o debate sobre a preservação ambiental e probleminhas matemáticos, trabalhei as palavras com "FL", de diferentes maneiras.

 Na produção, pedi para os alunos recontarem a história:


Aluna iniciando a construção de hipóteses no nível silábico-alfabético.

Na mesma semana teve cineminha e o filme, como as crianças já sabem, precisa ter relação com as aulas.

 E esse, apesar de não ser tão atual, é fantástico, riquíssimo em detalhes.



 Depois do debate sobre a ideia central do filme, propus uma produção sobre a parte que mais chamou a atenção deles:

Aluna alfabética


 Após as produções e a compreensão sobre o assunto do livro e do filme, levei os alunos a refletirem sobre o que os dois tinham em comum e registrarem isso em duplas. Antes, conversamos bastante sobre essa relação, explorar a oralidade é fundamental. 


                  
                     Aluno alfabético testando hipóteses sobre a pontuação.
                                               

 Finalizando a semana, trabalhamos com o Projeto "Ciência e Tecnologia com Criatividade" da "Abramundo".

                                                   

 A aula do dia envolvia as açucenas que tínhamos plantado. Foi uma ótima atividade para retomar os conceitos e também colocar em prática os aprendizados.

 A palavra "flor", eles já sabiam escrever e ninguém precisou copiá-la umas cem vezes. Ela estava o tempo todo lá, em cada conversa, na anotação da fala deles, nos textos... Fazer o registro no "Diário de Ciências" foi fácil!

                                             
  
 O assunto ainda não acabou, o "Jornal da Natureza" está em construção, mas isso é tema para outro post...

 A aprendizagem tem relação direta com a memória, mas isso não nos permite pensar que copiando repetidas vezes e recitando sílabas o aluno vai escrever ou ler melhor.

 Isso ocorre num processo bem diferente, de construção e reconstrução de hipóteses.

 Não há erro, há uma criança em processo de aquisição da língua escrita.

 E se amanhã um aluno me perguntar como se escreve "flor" ou qualquer outra palavra, ele não vai ter a resposta imediata, ele vai pensar. E nesse pensamento vai retomar memórias e nessa retomada vai confirmá-las ou modificá-las e nesse processo ele vai aprender!!!

 E eu vou junto com ele, sempre neste constante aprendizado!

Até mais!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário